Cultura

Festival Verão Azul arranca em Loulé com exposição coletiva

POR ALGARVE EXPRESS
Tamanho da Letra: A-A+

A edição deste ano do Festival Verão Azul, dedicado à promoção e difusão da arte contemporânea no Algarve e organizado pela casaBranca, arrancou em Loulé já este sábado, 17 de setembro, pelas 18h00, com a inauguração da exposição coletiva de artes plásticas e fotografia “Começar do zero”, a realizar na Casa do Castelo (junto ao Museu Municipal de Loulé), e projeção do documentário “Traces of a Diary”.

A exposição “Começar do Zero”, patente ao público até 22 de outubro, conta com a participação de Vasco Célio (Loulé), Patrícia Almeida (Lisboa), André Príncipe (Lisboa), André Uerba (Berlim) e Andrej Djerkovic (Sarajevo) como artistas convidados.

Vasco Célio vive no Algarve onde desenvolve vários projetos em fotografia. Enquanto artista tem trabalhado em inúmeras reflexões centradas num olhar documental sobre Portugal, quer a título pessoal, assim como em conjunto com várias instituições, curadores, investigadores, entre outros. É sócio da empresa STILLS, a quem várias entidades e empresas nacionais e internacionais têm recorrido para liderar projetos de referência na área da fotografia e educação.

Patrícia Almeida é fotógrafa e cofundadora da GHOST Editions juntamente com David-Alexandre Guéniot. Vive e trabalha em Lisboa. É formada em História pela Universidade Nova de Lisboa e em Fotografia pelo Goldsmiths College em Londres. Interessa-se por fotografia enquanto linguagem e território de pesquisa e de criação artística. As suas exposições tomam frequentemente a forma de instalações, cruzando vários suportes e materiais de produção de imagem: impressões fotográficas, livros de artistas, posters, jornais, vídeos ou imagens projetadas. Os seus projetos começam frequentemente por ser livros ou publicações artísticas, o que constitui um traço muito caraterístico da sua obra. Em 2009, foi nomeada para o prémio Besphoto pela sua exposição e livro Portobello. Integra, desde 2003, o POC/Piece of Cake, uma rede de artistas europeus e norte americanos que trabalham com fotografia e vídeo.

André Príncipe nasceu no Porto, em 1976, e vive em Lisboa. Estudou Psicologia e Cinema, e expõe regularmente desde 2004, destacando-se as exposições individuais nos Encontros de Braga, Centro Português de Fotografia, Galeria Fernando Santos, Silo, entre outras; e as mostras coletivas em Viena, Rio de Janeiro, Madrid, Barcelona e Londres. Tem vários trabalhos publicados em livro e filmografia que tem sido exibida e premiada em diversos festivais internacionais. É fundador e editor da Pierre von Kleist Editions.

Verão Azul_banner2016André Uerba nasceu em Lisboa, em 1983. Vive e trabalha em Berlim na área das artes visuais e performance, onde frequentou o Master of Arts, Solo/Dance/Authorship na Universität der Künste Berlin (2013-2015). Estudou Design de Comunicação na Escola António Arroio e, após uma curta passagem pela Escola Superior de Teatro e Cinema, estudou Fotografia no Ar.co (Centro de Arte e Comunicação Visual), do qual foi bolseiro (Bolsa José de Guimarães). Em 2011 estagiou na Galeria Sparwasser HQ em Berlim, no contexto do programa Inov-art. Desde 2007 que colabora com vários artistas entre as artes visuais e performativas, destacando Ana Borralho & João Galante, Carlota Lagido, Felix Ruckert, Karnart, Rafael Alvarez, Sílvia Pinto Coelho, Willi Dorner, entre outros.

Andrej Derkovic é natural de Sarajevo, onde nasceu em 1971 e formou-se pela Escola Superior de Artes Aplicadas. É fotógrafo e mora e trabalha em Genebra e em Sarajevo. Realizou mais de trinta exposições individuais no seu país e noutros locais. As suas fotografias têm sido publicadas em jornais internacionalmente reconhecidos, estando os seus trabalhos inseridos em coleções de arte patentes em prestigiadas galerias de diversos países. É um dos fundadores do ARS AEVI – Museu de Artes Contemporâneas Coleção Sarajevo. Foi premiado com o Certificate of Appreciation pela Agência de Informação dos Estados Unidos (USIA) por atividades no campo cultural durante o cerco de Sarajevo.

Até 30 de setembro o horário da exposição é de terça a sexta-feira, das 10h00 às 18h00, e aos sábados, das 10h00 às 16h30. Durante o mês de outubro (até 22) estará aberta de terça a sexta-feira, das 9h30 às 17h30, e aos sábados, das 9h30 às 16h00. Encerra aos domingos e segundas-feiras, e tem entrada gratuita.

A partir das 22h00, a Alcaidaria do Castelo de Loulé recebe a exibição do documentário “Traces of a Diary”, de Marco Martins e André Principe. “Traces of a Diary” trata-se de uma espécie de diário de viagem. Através de uma série de encontros com alguns dos mais significativos fotógrafos japoneses, os realizadores refletem sobre o ato de fazer imagens, contar histórias, e o processo diarístico.

Ao filmarem com duas câmaras 16mm de corda, as Krasnogork3, Martins e Príncipe valorizam a crueza do espontâneo e do contingente, acima do tratamento estudado. Ao mesmo tempo diário e reflexão sobre o género diarístico, “Traces of a Diary” é uma visão pessoal sobre alguns dos mais importantes fotógrafos atuais e a cidade que eles fotografam.

O programa completo do Festival Verão Azul, que decorre em Loulé, Faro e Lagos, entre 17 de setembro e 6 de novembro, encontra-se disponível no website: www.festivalveraoazul.com

Etiquetas: , , , ,

Comentar

Todos os direitos reservados.

Diário Online Algarve Express©2013

Director: António Guedes de Oliveira

Design & Desenvolvimento por: Webgami