Sociedade

Festas da cidade de Lagos

Procissão defronte para o mar não contou com os pescadores para a abrilhantar

ANTÓNIO GUEDES DE OLIVEIRA
Tamanho da Letra: A-A+

Lagos celebra a festividade do seu santo padroeiro. S. Gonçalo de Lagos, cujas festividades se comemoram a 27 de Outubro, transformou-se numa referência da cidade e passou a ser o santo que viria a dar o feriado municipal e com alcance que ultrapassa a simples esfera local. Nascido na cidade de Lagos, vir-se-ia a transformar num monge Agostinho e ficar como referência de santidade e eloquência entre os religiosos do seu tempo. Para além da cidade que o viu nascer, onde ainda abraçou a vida de pescador, vir-se-ia a notabilizar em outros conventos por onde haveria de passar como Lisboa e Torres Vedras. Nesta última cidade, acabaria por falecer e aí repousam os restos mortais venerados pelas gentes locais.

Lagos quis prestar-lhe tributo e elegeu o dia em que morreu, 27 de Outubro, como sua referência ao instituir esta festividade como dia da cidade. E, por isso, mais uma vez, esta cidade debruçada sobre o mar se quis associar a S. Gonçalo e celebrar este dia que a todos os lacobrigenses diz respeito. Este 27 de Outubro começou, em terras de Lagos, com o hastear da bandeira no antigo edifício da Câmara Municipal e continuou com a principal celebração em torno de S. Gonçalo; a missa que teve lugar em pleno Jardim da Constituição ali mesmo defronte para o mar. A cerimónia, tendo como pano de fundo o arco de São Gonçalo e toda a muralha de Lagos, foi rodeada de um sol esplendoroso que se fez sentir e de toda uma moldura humana que a rodeou e lhe deu o calor humano que uma cerimónia como esta sempre requer.

No que à cerimónia propriamente dita diz respeito, foi presidida pelo Cónego José Pedro Martins e concelebrada por vários padres que vieram participar e, desta forma, a quiseram abrilhantar. Contou também com a participação de um coro litúrgico, de Palos de La Frontera, localidade espanhola geminada com Lagos, que, no seu estilo flamengo, lhe deu um brilho maior e uma multiculturalidade que ainda mais enriqueceu uma solenidade como esta.

À missa, seguiu-se a procissão. Com estandartes, pendões e associações a rodear uma representação de São Gonçalo, a procissão seguiu o trajecto do passeio da avenida em direcção à ponte pedonal para, daí, se dirigir à Doca Pesca com a intenção de benzer os barcos de pesca que aí iriam aportar. Mas quase nenhuns acabaram por lá chegar. Já durante o trajecto do passeio da Avenida, era pressuposto que outra procissão de embarcações, ao longo da ribeira, replicasse e desfilasse ao longo daquele percurso. Enquanto uma procissão desfilava por terra, outra se formaria e acompanharia por água. Mas as embarcações, ou porque se tiveram de fazer ao mar, ou porque já comecem a escassear, praticamente não se viram nem abrilhantaram um acontecimento como este. E quando foi para as benzer, pouco mais de dois ou três ousaram comparecer.

Mas, mesmo com as embarcações a marcarem esta efeméride pela sua ausência, a missa que acabou por acontecer e a procissão que veio a seguir acabaram por marcar o dia de São Gonçalo em Lagos.

Pela parte da tarde, tiveram lugar alguns actos protocolares que sempre acontecem numa solenidade como esta. Um deles foi a sessão solene que a Câmara Municipal faz questão de promover para homenagear algumas personalidades. E tem continuidade com a tradicional atribuição de medalhas a funcionários da Câmara Municipal. E logo vieram a seguir as tradicionais exposições que, neste dia, são inauguradas e ficam a marcar, em tons culturais, estes eventos sociais que preenchem o calendário da programação de uma celebração como esta.

E com este figurino em torno das comemorações e das celebrações de S. Gonçalo, o dia, por entre o sol que se fez sentir, começou a dar lugar à noite que, entretanto, começou a cair. E para trás deixou uma solenidade marcada pelas cerimónias religiosas e por uma procissão que ficou defraudada pela ausência dos barcos de pesca que não compareceram e empobreceram um dia grande como é sempre o de S. Gonçalo de Lagos.

Procissão2

Procissão3

Procissão4

Procissão5

Etiquetas: , ,

Comentar

Todos os direitos reservados.

Diário Online Algarve Express©2013

Director: António Guedes de Oliveira

Design & Desenvolvimento por: Webgami