Autárquicas

Entrevista a Joaquina Matos – Candidata à Câmara Municipal de Lagos pelo PS

Tamanho da Letra: A-A+

As eleições autárquicas constituem um momento alto no calendário político deste ano que já se está a adiantar e que se prepara para deixar a fase estival que trouxe um mar de gente a esta cidade que, apesar dos seus percalços, continua a mostrar o seu ar bem atraente. Quando o Outono começa a entrar e tudo parece acalmar, eis que um outro tipo de animação decidiu aparecer e tudo começa a ganhar um colorido diferente em torno de um movimento que, atrás de si, consegue arrastar muita gente.

São assim as autárquicas com o seu colorido bem próprio, com a sua animação e com o movimento que conseguem imprimir às muitas localidades por onde desfilam as mais diferentes personalidades. Em torno dessas figuras, projectos políticos vão-se apresentando com o intuito de cativar em seu redor o cidadão eleitor.

O que acontece pelo país adiante, ganha, para nós, particular atenção com a apresentação das candidaturas de Lagos. E ao todo são sete as que já andam a desfilar e que, pelo terreno adiante, mostram o seu ar triunfante. É assim a sua forma de proceder para cativar todo o cidadão que vai votar.

Mas para além do folclore tão propício a uma encenação como esta, é fundamental conhecer as propostas que cada candidato tem para apresentar. E, para cumprir este papel de intermediação, fomos junto de cada candidatura para conhecer as propostas que tem para gerir a nossa casa comum. Com um formato muito igual, procuramos personalizar para melhor dar a conhecer ao cidadão o projecto político de cada um. À medida que nos forem chegando, vamo-las dando a conhecer. E, desta forma, pensamos estar a contribuir para este movimento que deve, em última análise, visar o esclarecimento do nosso público leitor.

Eis o resultado das perguntas que foram colocadas e das respostas que nos foram dadas.

Joaquina_Matos2ALGARVE EXPRESS – Quais as razões que a levam a candidatar-se à Câmara Municipal de Lagos numa altura como esta?

JOAQUINA MATOS – Fui convidada pelo meu Partido para este desafio. Aceitei. Sei que a experiência de anos de vida autárquica, de contactos com as populações, de conhecimento do território, de conhecimento da estrutura camarária e dos seus recursos humanos, permitir-me-ão concretizar o Programa Eleitoral que já apresentámos aos Lacobrigenses.
As equipas que me acompanham são equipas com saber, com experiência, com muita dedicação à causa pública, com as mesmas preocupações, defensores dos valores da liberdade, da justiça social e do humanismo. Militantes e independentes, estamos juntos e em ação para ganharmos o futuro, para termos um município territorial e socialmente coeso, de participação e cidadania, investindo nos nossos e no melhor que têm para dar.

ALGARVE EXPRESS – Quando pediu a sua suspensão do mandato de vereadora já tinha este objectivo em mente ou nem sequer lhe passava pela cabeça?

JOAQUINA MATOS – Quando pedi a suspensão do mandato de vereadora fi-lo por motivos de doença e não com qualquer outra intenção.
Como já afirmei várias vezes, ponderei sobre o convite que o meu Partido me fez e aceitei-o. Espero corresponder às expetativas que sobre mim são depositadas.

ALGARVE EXPRESS – Ouve-se dizer que poderá, de novo, vir a pedir a suspensão para entregar a Presidência da Câmara ao seu nº 2. Que fundamento têm estes burburinhos?

São meros boatos!
E, quanto a isso, só posso dizer que FICO, caso mereça, como penso merecer, a confiança dos Lacobrigenses. Os Lacobrigenses merecem a minha enorme estima, admiração e dedicação, como já dei provas. Com a sua colaboração, caso seja eleita como espero, penso realizar um bom mandato desde de o primeiro até ao último dia.

ALGARVE EXPRESS – A Câmara de Lagos, com um passivo de cerca de cem milhões de euros, pouco campo de manobra deixa aos que a vierem a gerir. Em circunstâncias como estas, o que é que pensa vir a fazer?

JOAQUINA MATOS – Perante a situação financeira da Câmara, idêntica à da grande maioria das câmaras por todo o país, independentemente da força partidária que as governa, propomo-nos prosseguir o esforço de redução da despesa corrente, aplicar grande rigor na contratualização de serviços e bens ao exterior, promovendo sempre que possível a sua realização pelos quadros da autarquia. Assumiremos os compromissos, que são públicos e renegociáveis, e vamos assegurar o normal funcionamento da autarquia e a manutenção dos serviços.
Impõe-se um rigoroso controle orçamental na execução da recita, na procura de maior justiça e progressividade na aplicação da fiscalidade municipal, tendo sempre em conta as graves dificuldades com que vivem algumas famílias lacobrigenses.

Equipa_PSALGARVE EXPRESS – Das duas empresas municipais, uma já foi extinta. Em nome da racionalidade económica, pensa acabar também com a outra e implementar o chamado programa de requalificação de funcionários com o consequente corte de vencimentos ou pensa recorrer a outras soluções?

JOAQUINA MATOS – A proposta que está em cima da mesa para aprovação do tribunal de contas é sobre a fusão das empresas municipais e não a extinção desta ou daquela empresa. Aguardamos com serenidade a decisão.
Relativamente aos recursos humanos da autarquia e às propostas que o governo do CDS/PSD tem vindo a apresentar, só me cabe dizer que não consta no nosso programa contribuir para mais desemprego. Já basta as penalizações que este governo tem imposto, de modo desenfreado, aos funcionários públicos.

ALGARVE EXPRESS – Quais são as linhas mestras em que vai assentar a sua acção?

JOAQUINA MATOS – O nosso programa desenvolve-se em vários eixos que convergem sempre para o papel que a autarquia tem de ter com as pessoas, com os Lacobrigenses. Reforçaremos a Rede Social concelhia. Para nós o concelho é muito mais que o tecido construído. Os territórios são as pessoas e as suas atividades. Vamos apoiar as pequenas e médias empresas, geradoras de economia e emprego. Estimularemos a relação com todos os agentes económicos. A crise só se vence com uma dinâmica económica virada para a criação de emprego.
Olharemos e cuidaremos do espaço público com todo o empenho. Queremos um concelho limpo, cuidado e atrativo. Vamos valorizar o nosso mar e saber tirar partido dos nossos recursos naturais.

ALGARVE EXPRESS – Daqui por 4 anos, a cidade e o concelho vão estar muito iguais à situação actual ou vai-se notar a marca que vai imprimir à sua gestão?

JOAQUINA MATOS – O nosso programa aponta na direção das mudanças que se impõem. Não é um somatório de promessas vãs e irrealizáveis. Somos uma nova equipa, com uma nova atitude, com uma nova estratégia.

ALGARVE EXPRESS – E quais vão ser essas principais diferenças?

JOAQUINA MATOS – Se formos governo do concelho, caberá aos Lacobrigenses, em 2017, avaliarem das diferenças.
Uma coisa é certa – Governaremos com a participação dos cidadãos, das suas organizações, na procura das melhores soluções e decisões.
Só com a participação de todos poderemos vencer obstáculos e ganhar o futuro.

Etiquetas: , , , ,

Comentar

Todos os direitos reservados.

Diário Online Algarve Express©2013

Director: António Guedes de Oliveira

Design & Desenvolvimento por: Webgami