Cultura

“Judeus Ilustres de Portugal” de Miriam Assor é apresentado dia 23 no Museu Municipal de Faro

POR ALGARVE EXPRESS
Tamanho da Letra: A-A+

Judeus Ilustres de Portugal é uma obra assinada por Miriam Assor, jornalista e filha de Abraham Assor, antigo rabino da Comunidade Israelita de Lisboa. Ao longo das cerca de 250 páginas que compõem este notável trabalho de investigação publicado pela Esfera dos Livros, ficamos a conhecer pormenorizadamente a vida e obra de 14 homens e mulheres entre os séculos XV e XX.

Dessa listagem de notáveis salientam-se figuras como o médico Amato Lusitano, o naturalista Garcia da Orta, o cientista Pedro Nunes ou ainda os irmãos gémeos Samuel e Joel Sequerra nascidos em Faro.

A apresentação do livro decorre este Domingo pelas 15:30 horas no Museu Municipal de Faro e conta com a presença da autora.

Sinopse:

«O meu pai, como Cardoso e como judeu, sempre me ensinou que a desgraça de Portugal e dos portugueses não teria acontecido (e não existiria hoje) se os judeus não tivessem sido expulsos, pseudoconvertidos à força ou assassinados, pelos fogos pré-nazis da Inquisição, por terem sido obrigados a fingir que eram cristãos-novos.

Este livro de Miriam Assor fez-me chorar e gritar de alegria muitas vezes. Está tão bem investigado e é tão bem sentido, na pele e na pena, que não se consegue resistir. Resistir à verdade é mentir. E o livro dela, acima de tudo, é tudo menos mentiroso.»

Miguel Esteves Cardoso, in Prefácio

Numa extraordinária viagem do século XV ao século XX, as vidas destes 14 homens e mulheres ilustres da nossa História renascem pela mão da jornalista Miriam Assor, que nos conta como de formas variadas, cada um deles contribuiu, enriqueceu, dignificou e honrou o país, marcando terminantemente o universo histórico-nacional e além-fronteiras. Da Medicina à Filosofia, da Ciência ao sector pioneiro empresarial, da Poesia litúrgica a autoridades rabínicas, da Música à Matemática, da Literatura à liderança comunitária. Foram humanistas, homens e mulheres corajosos que optaram por actuar ao serviço do próximo, colocando, muitas vezes, as suas próprias vidas em risco ou num último plano. O célebre médico Amato Lusitano, a empresária destemida Dona Grácia Naci, o famoso naturalista Garcia de Orta, o cientista Pedro Nunes, o pensador Isaac Cardoso, o rabino Isaac Aboab da Fonseca, que, fugido da perseguição que alastrava em Portugal incendiada pelos fogos da Inquisição, encontrou na Holanda a paz para fundar a sinagoga portuguesa em Amesterdão. A extinção formal da Inquisição em 1821 trouxe de volta ao país estes homens e mulheres perseguidos, que dominando várias línguas e em contacto permanente com a Europa e o mundo – quer por razões comerciais quer por razões pessoais – trazem uma lufada de ar fresco ao nosso país. Alfredo Bensaúde, fundador e o primeiro director do Instituto Superior Técnico, em Lisboa. A sua filha, Matilde, pioneira da investigação biológica, única mulher entre os criadores da Sociedade Portuguesa de Biologia. Alain Oulman, o compositor que revolucionou o fado e que teve como principal divulgadora desse seu infindo talento a voz de Amália. O catedrático Moses Amzalak, líder da Comunidade Israelita de Lisboa, que aproveitou a sua proximidade com o ditador Salazar para realizar as operações de socorro aos refugiados do Holocausto. Também os irmãos Samuel Sequerra e Joel Sequerra, a viver em Barcelona, salvaram cerca de mil compatriotas das mãos nazis. Já Abraham Assor chega a Portugal pouco tempo antes de acabar a Segunda Guerra Mundial e seria, por meio século, o rabino da Comunidade Israelita de Lisboa.

O preço de venda é de 17,00€.

Etiquetas: ,

Comentar

Todos os direitos reservados.

Diário Online Algarve Express©2013

Director: António Guedes de Oliveira

Design & Desenvolvimento por: Webgami