Criminalidade

Grupo tinha 37 elementos

Polícia Judiciária conclui investigação por crimes de burla qualificada, branqueamento de capitais, tráfico de estupefacientes e receptação

POR ALGARVE EXPRESS
Tamanho da Letra: A-A+

A Policia Judiciária, através da Directoria do Sul, concluiu e remeteu ao Ministério Público uma investigação em que foram constituídos trinta e quatro arguidos, setemulheres e vinte e sete homens.

A partir do segundo semestre de 2010, um grupo que foi integrando diversos elementos até ser composto por duas mulheres e sete homens, gizaram um esquema que passava por adquirirem ou formarem empresas comercias colocando como sócios-gerentes pessoas de difícil localização e desempregadas.

Em sequência, os elementos do grupo inscreviam-se como trabalhadores assalariados da empresa e levavam a que os sócios-gerentes fictícios formalizassem as condições para o giro comercial daquela, designadamente, através da abertura de contas bancárias, assinatura de cheques em branco e celebração de contratos.

Posteriormente, o grupo através de contabilidades forjadas e de movimentações monetárias com contas bancárias de terceiros, procurava transmitir uma imagem de credibilidade e de solvabilidade.

Em continuação, num curto espaço de tempo, o grupo procedia a um grande volume de encomendas de materiais e produtos a empresas de diversos ramos de atividade, pagando no ato da entrega com cheques pós-datados, sustentados em seguros de crédito e assinados pelos sócios gerentes fictícios.

Imediatamente após, o grupo revendia os materiais e produtos a preço inferior ao custo de mercado, embolsava o dinheiro, não pagava os cheques, saldava as contas bancárias e os seus membros solicitavam junto da Segurança Social o pagamento do subsídio de desemprego, alegando que a empresa estava insolvente.

Com este estratagema, o grupo causou prejuízos ao Estado e a cerca de duzentasempresas, com maior incidência ligadas à construção civil, em valor superior a três milhões e duzentos mil euros.

Nas buscas efetuadas a armazéns que o grupo possuía, foi possível recuperar uma pequena parte da mercadoria ilícitamente adquirida, tendo também sido recuperados no estrangeiro dois veículos automóveis que se encontravam para venda.

Ainda no âmbito da atividade do grupo, no mês de março do ano passado, em França, dois elementos daquele grupo foram intercetados a transportar num veículo pesado de mercadorias, duzentos e vinte e cinco queilos de resina de cannabis com destino a Itália.

Cinco dos homens que integravam o grupo, encontram-se em prisão preventiva.

Etiquetas: , , ,

Comentar

Todos os direitos reservados.

Diário Online Algarve Express©2013

Director: António Guedes de Oliveira

Design & Desenvolvimento por: Webgami