Entradas com Etiqueta ‘opinião’

As bolsas da resistência

Quinta-feira, 1 de Dezembro, 2016

Foram muitas as guerras, as atrocidades e os ódios de toda a espécie a que o mundo, na primeira metade do século vinte, assistiu e em que a marcha da humanidade regrediu. Bem perto da nossa história e com o velho continente como palco de cena, a primeira grande guerra mundial eclodiu e, algumas décadas depois, uma segunda invadiu os espaços de todos nós. E, aqui mesmo ao lado, um conflito fratricida haveria de dividir uma nação e de, consigo, trazer vingança, morte e destruição. Os fuzilamentos ficaram-no a marcar e, ainda hoje, algumas feridas continuam a sangrar. (mais…)

O Monstro da Torraltinha

Quinta-feira, 20 de Outubro, 2016

Nunca é por demais realçar a beleza de uma cidade ou de uma natureza que rodeia as terras de Lagos. Quem percorre as suas ruas, observa o seu urbanismo, admira o seu património ou se extasia com a sua paisagem fica deslumbrado com tudo o que este território tem para oferecer e com a forma como a mão humana, ao longo de séculos, o tem preservado, o tem valorizado e o tem legado às gerações vindouras. (mais…)

Pequeno-almoço de rei, almoço de príncipe e jantar de pobre

Domingo, 16 de Outubro, 2016

Alimentarmo-nos bem é uma arte! No Dia Mundial da Alimentação, recordamos algumas dicas de ouro para uma alimentação saudável que mais contribuem para a manutenção de um peso adequado e, consequentemente, para a prevenção de muitas das doenças crónicas não transmissíveis, entre as quais a obesidade. (mais…)

A Avenida pervertida ou valorizada com a venda ambulante?!…

Quarta-feira, 5 de Outubro, 2016

Lagos é uma cidade eminentemente turística. E tem muito para oferecer aos muitos visitantes que, de inverno ou de verão, escolhem esta cidade como espaço para descansar e para desfrutar da sua natureza e de toda a sua beleza. Ninguém fica indiferente à sua paisagem urbana e natural. Basta percorrer a sua longa avenida para se deslumbrar com a sua textura e com esse curso de água que acaba por nos levar a confluir com as águas do mar. (mais…)

A nódoa do verão lacobrigense

Quarta-feira, 21 de Setembro, 2016

O verão já se despediu. E o Outono está-se a iniciar e começa já a dar os seus primeiros passos. E, em terras como as de Lagos, o balanço ter-se-á de fazer. Cada época balnear é um momento de grande vitalidade que transforma e enche de dinamismo todo o nosso território com especial ênfase para a própria cidade. (mais…)

Fibrilhação auricular causa um terço dos AVC

Terça-feira, 26 de Abril, 2016

A fibrilhação auricular, doença que afeta 200 mil portugueses, é responsável por 1 em cada 3 Acidentes Vasculares Cerebrais (AVCs), representando um risco maior do que fumar, ter diabetes ou não fazer exercício físico. Esta perturbação do ritmo cardíaco é mais comum nas pessoas com mais de 40 anos, mas como é frequentemente assintomática as pessoas desconhecem que estão em perigo.

O AVC relacionado com a fibrilhação auricular é o mais debilitante tendo um risco de morte duas vezes superior comparado com os não relacionados. Estima-se que a fibrilhação auricular aumenta em 50 por cento o risco de incapacidade após um AVC e que está associada a um aumento de 20 por cento da estadia no hospital e a uma diminuição de 40 por cento da probabilidade de alta.

Um maior conhecimento da fibrilhação auricular, e do seu diagnóstico precoce, a ênfase na prevenção e no tratamento do AVC relacionado com esta doença, alicerçado em recomendações baseadas na evidência, a melhoria dos cuidados continuados destes doentes, a implementação de registos nacionais, o acesso atempado ao tratamento adequado, constituem a melhor via para proporcionar cuidados de saúde de qualidade aos doentes com fibrilhação auricular, e, em simultâneo, reduzir a enorme carga económica resultante dos AVCs associados a esta doença.

O AVC, principal causa de morte em Portugal, ocorre quando um coágulo entope um vaso sanguíneo no cérebro impedindo a passagem de sangue e consequentemente de oxigénio, comprometendo áreas do cérebro que controlam faculdades como movimentos, a fala, entre outras. As doenças vasculares cerebrais são a principal causa de morte e a 3ª principal causa de morte prematura em Portugal.

A fibrilhação auricular é a perturbação do ritmo cardíaco crónica mais frequente, afetando aproximadamente 6 milhões de pessoas na Europa, 8 milhões na China e 2,6 milhões nos Estados Unidos da América.

A Associação Bate, Bate Coração, uma instituição sem fins lucrativos, tem como objetivo clarificar mitos e verdades sobre as arritmias cardíacas e fibrilhação auricular.

*Cardiologista e Presidente da Associação Bate Bate Coração

Precisamos de uma Europa atenta, preocupada e consciente do seu dever e papel na resolução dos problemas globais

Quinta-feira, 7 de Janeiro, 2016

No início deste Ano Europeu para o Desenvolvimento, ao lembrarmos as palavras de Sophia de Mello Breyner Andresen e de Agustina Bessa-Luís, perguntávamos “Que Europa e que Mundo temos?”, “Que Europa e que Mundo ambicionamos?”. Tínhamos então a expectativa e ambição de que este Ano Europeu, a decorrer em simultâneo em 28 países, com todos os seus objetivos, mensagens, iniciativas e parcerias, contribuísse para informar e sensibilizar os cidadãos relativamente às questões do desenvolvimento global, promovendo o debate público e levando a uma reflexão conjunta que incentivasse a participação direta. (mais…)

Está nas nossas mãos: prevenir e diagnosticar dá-nos mais anos de saúde

Sábado, 7 de Novembro, 2015

Os progressos na organização dos serviços de saúde em Portugal permitiram nos últimos 40 anos que o nosso país atingisse excelentes indicadores de saúde, como a mortalidade infantil e a esperança média de vida, que rivalizam com os apresentados pelos países mais ricos e desenvolvidos do mundo. (mais…)

Pais podem ajudar a diagnosticar escoliose

Quarta-feira, 19 de Agosto, 2015

A escoliose é uma doença da coluna vertebral que se verifica quando ocorre um desalinhamento das vértebras. Esta deformidade consiste na alteração das curvaturas nos vários planos da coluna, tem um grande impacto na imagem e na qualidade de vida do indivíduo e geralmente provoca uma assimetria no tronco. Embora em regra seja mais evidente um desvio da coluna para um dos lados, a escoliose é uma deformidade tridimensional da coluna, com rotação e desvios em vários planos.

As duas formas mais comuns de escoliose são a degenerativa (que resulta do desgaste de uma coluna previamente saudável) e a idiopática, que surge habitualmente na adolescência e não tem uma causa conhecida.

A doença pode manifestar-se em qualquer idade, desde bebés a adultos, mas é mais frequente depois dos 10 anos e no sexo feminino. A progressão da escoliose verifica-se habitualmente na fase de maior crescimento, entre os 10 e os 15 anos.

Os ombros a alturas diferentes, uma das ancas levantada em relação à outra ou a existência de uma cintura desigual são alguns dos sintomas aos quais deve ser dada especial atenção e que podem indicar uma escoliose. Para além destes sinais, a doença pode manifestar-se ainda através da inclinação do corpo para um dos lados ou da identificação da saliência das costelas de um dos lados, especialmente quando se dobra o corpo.

A escoliose idiopática habitualmente não provoca dor e na maioria dos casos, as amplitudes das curvas são ligeiras e não necessitam de tratamento. Contudo, uma vez detetada, deve ser seguida por um médico especialista. A escoliose idiopática atinge 2 a 3 por cento dos adolescentes e a progressão das curvas é muito mais frequente no sexo feminino. Contudo, só cerca de 1 em cada 5000 casos evoluem a ponto de uma cirurgia ser necessária.

Grande parte dos casos de escoliose idiopática são detetados pelos pais, professores, treinador desportivo ou médico assistente, que notam uma assimetria nos ombros, cintura ou tronco.

As escolioses com menos de 20-25 graus exigem apenas uma vigilância regular até à conclusão do crescimento da coluna vertebral. Em escolioses com uma curvatura entre os 20-25 e os 40-45 graus em adolescentes que ainda não terminaram o seu crescimento, o uso de um colete pode ser recomendado para tentar impedir o agravamento da curva.

A cirurgia destina-se essencialmente às escolioses mais graves, com curvaturas acima dos 40 graus. A cirurgia consiste na correção do alinhamento e na fusão das vértebras que estão desviadas, evitando a progressão da escoliose e o surgimento de problemas associados – problemas cardíacos, pulmonares, neurológicos e dor.

Drones: Os “brinquedos” que podem representar uma séria ameaça para todos nós

Quinta-feira, 23 de Julho, 2015

Não há dúvida de que os drones estão cada vez mais presentes no cotidiano das nossas vidas. (mais…)

« Entradas mais recentesEntradas mais antigas »

Todos os direitos reservados.

Diário Online Algarve Express©2013

Director: António Guedes de Oliveira

Design & Desenvolvimento por: Webgami